Desabafo

30 outubro, 2011

Sou a favor da volta deste blog porque estou com problemas nas principais redes sociais, a saber:

– Meus parentes descobriram meu Facebook. Eu me contentava com os colegas de trabalho DE TODOS OS TEMPOS de mais de dez anos de vida profissional, mas a prima da minha tia-avó de Minas me achar no Facebook e curtir uma piada de humor negro meu, não. Não, não, não.

– O twitter (minha timeline, pelo menos) virou churrascão de compadre. Eu não me sinto confortável para dar unfollow em gente que eu já conheci pessoalmente. É um problema. Fica chato. Vai rolar um aniversário no futuro de alguém que vocês seguem em comum e vai ficar aquele clima pesado. Aquele olhar de desaprovação de “você se acha superior a mim”. Não acho, amigo, é o twitter que tem essa magia de fazer com que pessoas realmente legais na vida real riam rio grande do sul e usem o mesmo meme por mais de uma semana. Não sei explicar o porquê, um dos mistérios da humanidade.

o novo U2?

7 outubro, 2011

Daí que depois da apresentação do Coldplay no Rock in Rio rolou um papinho por aí que Coldplay é o novo U2 e depois de alguma reflexão, por incrível que pareça, eu concordo… em partes.

Vamos esclarecer as coisas, caso você não me conheça, eu explico: desde os 14 anos (mais ou menos) eu sou apaixonada pelo U2, não sou fanática, nem faço parte de fã clube, mas digo pra quem quer ouvir que eles são a minha banda preferida, coleciono CDs, sei de informações sobre os integrantes que não sei sobre integrantes de outras bandas e até turismo relacionado a eles eu já fiz.

Já o Coldplay, eu acho uma banda muito da sem-graça. Tirando Clocks e The Scientist, considero as músicas deles bem chatas e Chris Martin (o vocalista) tem mais cara de doente que Thom Yorke (mentira, ninguém tem mais cara de doente que Thom Yorke, mas tá quase lá! Eles têm uma música que chama Yellow e eu acho que define bem a banda, é uma banda amarela.

O U2 era uma banda que começou sua carreira falando de problemas políticos e sociais, eram rebeldes e sem grana. Quando nos apaixonamos, no começo dos anos 90, eles eram irônicos e sacaninhas. Hoje em dia eles se preocupam bastante em pregar a palavra e isso me deixou cansada a ponto de quase desistir do último show deles no Brasil. Ficaram chatos, caretas, democráticos, ainda que capazes de de apresentar um puta dum show. Nesse ponto que eu concordo que o Coldplay é o novo U2, apesar de me doer o coração admitir isso (e achar que Coldplay ainda tem que comer muito feijão pra chegar nível do Fab Four irlandês).

Deixo vocês com uma boa memória…

Mentira: eu retiro o que eu disse. Você viu o último show do U2? Coldplay pode comer o feijão que quiser, mas nunca vai ser o U2. Desculpa, Bono.