shows

14 novembro, 2008

Eu estou completamente desiludida com a minha profissão, meu trabalho é absurdamente enfadonho, tenho 27 anos e moro com meus pais, sendo que meu pai me trata igual uma adolescente, sem falar na falta de um namorado há quase 5 anos. Tudo isso ficou pra lá no fim de semana passado, diante da apresentação de bandas muito queridas por mim.

Primeiro, eu quero destacar a organização do Festival Planeta Terra: depois de quebrar a cara no Porão do Rock e perder a apresentação do Autoramas devido à pontualidade atípica do evento, eu aprendi a lição e parece mesmo que ser pontual virou tendência no Brasil. Era a banda entrar no palco, você podia olhar no relógio e iria constatar que era exatamente a hora marcada. Sem falar nos banheiros enoooormes (não peguei uma fila sequer), bares gigantes e bem localizados e caixas que aceitavam cartão. Amei. Vi The Jesus and Mary Chain que foi um show honesto, confesso que não sou lá muito fã, mas tocaram as músicas que eu queria ouvir (Head On é demais!). Offspring foi divertido pra relembrar os tempos de teen: Dexter estava bem mais simpático do que quando os vi em 2001 e eu gostaria de destacar o Noodles – sempre fofo, se apresentou vestido com a camisa do Brasil – que apesar de já estar com algumas ruguinhas, estava bem cabeludo e os fios estavam soltos aos ventos. Hilário! Mas vamos falar? Eu tava lá mesmo pra ver Kaiser Chiefs, que não me decepcionou senão pela curta duração da apresentação, eu pulava insanamente a cada música tocada (exceto por Take my temperature que eu não conhecia mesmo) e o vocalista estava benloko, tentando se comunicar conosco. Sério, ver Kaiser Chiefs foi um sonho que se tornou realidade e eu vou lembrar com todo amor e carinho pra sempre!

Segunda foi dia de REM, aqueeele show que eu deixei de ver no Rock in Rio (hehe). Michael Stipe era uma alegria só, deixando bem claro que estava muito feliz por Obama ter ganho as eleições. Fazia um calor infernal na Via Funchal (R$ 200 num ingresso e não tinha um mísero ar condicionado ligado???), mas quem se importa quando se está lá ouvindo ao vivo hits como Losing My Religion, The One I Love, The Great Beyond etc etc e tal, not to mention as novas super demais Hollow Man, Supernatural Superserious e Living Well Is The Best Revenge (tem título melhor que esse? Acho que não…) que abriu o espetáculo.

Fins de semanas assim me fazem acreditar que vale a pena pegar o engarrafamento que eu pego todo dia a caminho do trabalho só pra poder pagar por esses momentos tão felizes. E que venha o Radiohead!

3 Respostas to “shows”

  1. marinarama said

    Pois eu vou ver Queen de grátis em Copa.

    Ao que toda e qualquer pessoa responde “Ué, mas o cara do Queen não morreu?” e eu, num dia bom, explico, mas num dia como hoje só faço o meu olhar ctrl+alt+6 ¬¬

  2. Ow!
    Me leva junto no Radiohead =X

  3. iela said

    Levo demais!🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: