há que odiar-se

26 julho, 2008

(para manter a chama acesa)

36. Circo do Edgard

Em foto de arquivo da Atrevida, Edgard é o exemplo típico daqueles caras que tocam em banda com seus cabelos ao vento e charme boêmio, mas que quando você vai puxar um papo percebe que ele não passa de um paulista babaca palmeirense. Nada contra paulistas (porque, afinal, eu sou uma) ou contra os palmeirenses, mas você bem teve uma idéia boa do conceito: eles vão continuar babacas o resto da vida.

E você vai assistir os programas babacas deles quando o Wagner Moura aparecer, e passar raiva e lembrar do papo que você puxou com o vocalista babaca lá em 1900 e alguma coisa e pensar “Bom, eu lia Atrevida, eu tinha 16 anos – eu também era babaca”. A velhice serve para alguma coisa, afinal.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: